Home » Internacional » Brasileiros apresentam em Harvard tecnologias para combater  a  exclusão digital

Brasileiros apresentam em Harvard tecnologias para combater  a  exclusão digital

 

Nos próximos dias 28, 29 e 30 de maio, Paulo Rogério Nunes, cofundador do Instituto Mídia Étnica e responsável por disseminar a tecnologia VOJO, no Brasil, fará uma palestra no simpósio Digitally Connected, em Harvard, a convite do UNICEF. Também estarão no encontro Rene Silva, criador do jornal Voz da Comunidade, que falará sobre sua experiência na cobertura jornalística, em tempo real, da ocupação militar do Morro do Alemão, em 2010 e Gabriela Moura do escritório do UNICEF no Brasil.

Digitally Connected reunirá pesquisadores, ativistas e jovens comunicadores de diversos países para pensar em formas de melhorar e democratizar o uso da Internet para os segmentos mais jovens da sociedade.  A atividade está sendo promovida pelo The Berkman Center for Internet & Society da Harvard, um dos principais centros de estudos sobre Internet no mundo e pelo UNICEF.

O painel UNICEF Activate Talk, na quarta- feira (30) discutirá como a inovação pode promover a inclusão social e virtual de comunidades excluídas ao redor do mundo. No caso brasileiro, a tecnologia VOJO (criada por pesquisadores do MIT – Massachusetts Institute of Technology) foi aplicada na comunidade quilombola da Ilha de Maré, em Salvador. Seu diferencial é permitir a qualquer pessoa mandar conteúdo para a rede mundial  sem a  necessidade de  aparelhos com acesso à internet, tais como notebooks, tablets e smartphones.

A ferramenta é ideal para ser usada em comunidades rurais, de difícil acesso e por grupos socialmente vulneráveis como indígenas, quilombolas e moradores de favelas urbanas. Com o VOJO, até mesmo de um telefone público é capaz de alimentar um blog de áudio.

“Com a tecnologia VOJO a comunidade não precisa de intermediação para fazer com o que sua voz seja ouvida. Para nós é um orgulho apresentar um projeto social como este em Harvard, pois a comunicação é um direito humano fundamental”, comemora Paulo Rogério Nunes.

O simpósio Digitally Connected abordará ainda desafios e oportunidades para crianças e jovens no ambiente digital, incluindo questões como o acesso desigual, os riscos para a segurança na web, privacidade, alfabetização digital e espaços de participação e engajamento cívico e inovação na Internet.

As conclusões comporão o relatório global de 2014 do UNICEF sobre Crianças, que reúne especialistas para discutir, vinte e cinco anos após a adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança (CRC), novas maneiras de fechar as lacunas que persistem em relação ao desenvolvimento e bem-estar das crianças e adolescentes.

Rene Silva e Paulo Rogério Nunes possuem histórias de vida similares e alcançaram visibilidade positiva por meio do uso das novas tecnologias. Ambos têm um objetivo em comum: fazer com que as comunidades usem a Internet de maneira política e empreendedora, aproveitando todo seu potencial.

O painel UNICEF Active Talk, que terá a presença de Paulo Rogério, será transmitido online no dia 30 às 9h30 (horário de Brasília) pelo site http://talk.unicef.org/ e no twitter pela hashtag   #UNICEFActivate

 

1526268_694211237309707_4028750046646981605_n

Paulo Rogério Nunes

É diretor-executivo do Instituto Mídia Étnica, organização referência no combate ao racismo na mídia. É editor do Correio Nagô, um blog de notícias focado na diversidade e nos direitos humanos que tem os jovens correspondentes de várias comunidades do Brasil. De 2011 a 2012 recebeu uma bolsa da Fulbright (H.Humphrey), nos EUA onde estudou jornalismo e novas mídias na Universidade de Maryland. Paulo é no Brasil o divulgador do Vojo, uma tecnologia criada por pesquisadores associados ao Center for Civic Media do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Também é um Fellow da Ashoka e escreve para a revista Americas Quarterly sobre inclusão social no Brasil.

 

Rene Silva

Aos 11 anos Rene Silva criou o jornal Voz da Comunidade e desde então tem um papel importante em divulgar a realidade das favelas brasileiras para o mundo. Em 28 de Novembro de 2010, durante a invasão das forças do estado no Complexo do Alemão, relatou para o mundo os detalhes do ataque em tempo real através do Twitter. A sua atuação se tornou um livro que rendeu diversos prêmios como “Faz a Diferença” do jornal O Globo e foi eleito um dos 100 brasileiros mais influentes do país pela revista Época e o melhor produtor de conteúdo na categoria inovação pelo New York Times.

 

Sobre a tecnologia VOJO?

https://correionago.com.br/portal/jovens-quilombolas-na-bahia-usam-celular-para-enviar-reportagens/

scroll to top